Páginas

sábado, 6 de julho de 2013

PIG: Veja Propõe seu Plebiscito e mostra o quão a direita está.

Qual seria o plebiscito dos sonhos da Editora Abril, que, embora enfrente dificuldades na área editorial, começa a se tornar um dos maiores grupos de educação do País? Essa "consulta popular" está nas páginas de Veja desta semana e revela, entre outras coisas, que a Abril deseduca. Numa das questões, por exemplo, a revista sugere que os beneficiários do Bolsa-Família devem ser impedidos de votar.

A capa acusa as autoridades, em Brasília, de agir como extraterrestres, mas é a própria revista que revela falta de sintonia com a sociedade, ao propor, por exemplo, que o Brasil feche sua embaixada em Cuba.

Capa do Folhetim Veja dessa semana.
Abaixo, as dez questões do "plebiscito de Veja":

1) Os brasileiros trabalham cinco meses do ano só para pagar impostos e agora o governo quer que paguemos também todas as campanhas eleitorais dos políticos. Você concorda?

(Nota: ao apresentar dessa forma o tema do financiamento público de campanha, Veja omite que o financiamento privado é mais caro para a sociedade, uma vez que gera a corrupção e distorce as prioridades da agenda pública).

2) Se bem gasto, o dinheiro dos impostos seria mais do que suficiente para prover de educação, saúde e segurança os brasileiros. No entanto, a população tem de pagar uma segunda vez por escolas privadas, médicos e seguranças. Você concorda?

(Nota: ontem, a Abril anunciou a aquisição, por R$ 106 milhões, de um grupo de escolas privadas)

3) Você concorda em proibir o uso de jatinhos da FAB por políticos e, com o dinheiro economizado, investir na melhoria do transporte coletivo urbano e na saúde?

4) Aos 16 anos, um(a) brasileiro(a) já pode votar e se casar. Caso ele(a) cometa crimes bárbaros, deve ser julgado(a) como se fosse uma criança?

(Nota: a revista desconhece totalmente os processos de políticas públicas para a juventude, sendo totalmente contra outras alternativas a socialização dos jovens infratores. A Veja, como toda a mídia, chamada de PIG (Partido da Imprensa Golpista), deseja um estado de total criminalização das ações e da política.)

5) Você concorda que Brasília deveria abandonar a galáxia distante onde vive e voltar para o Brasil?

6) Você concorda que deveria acabar a alegação de "réu primário" uma vez que isso beneficia quem mata pela primeira vez, mesmo que de maneira cruel e sem chance para a vítima?

(Nota: Mais uma vez opta por total criminalização, não propondo nenhuma solução, ideia ou mudança para o nosso sistema carcerário e para a ressocialização desses infratores.)

7) Você aceita ceder aos caciques dos partidos políticos seu direito de escolher o candidato em quem votar?

(Nota: ao apresentar dessa maneira o sistema de voto em lista, Veja omite que a medida fortalece partidos políticos e reduz o espaço para aventureiros, como Tiriricas)

8) Você concorda que deveriam ser fechadas as embaixadas brasileiras na Coreia do Norte, Cuba, Azerbaijão, Mali, Timor-Leste, Guiné Equatorial, São Cristóvão e Névis, Santa Lúcia, Botsuana, Nepal, Barbados e em outros países sem a menor expressão, e o dinheiro gasto com elas investido nos hospitais públicos no Brasil?

(Nota: É realmente desconcertante o desconhecimento em prospecção internacional que a revista demonstra e, a pergunta revela que escolha do quase fascista Maycon Freitas como "a voz que emergiu das ruas", na semana passada, não se deu por acaso)

9) Você concorda que quem recebe dinheiro do governo federal poderia ter o direito de se declarar impedido de votar por óbvio conflito de interesses?

(Nota: o alvo, explicitado por Veja na reportagem, são os 13 milhões de beneficiários do Bolsa-Família, que "poderão levar em o benefício em conta na hora de votar". Além do fato de qualquer usuário da saúde ou educação pública, bolsistas universitários, cotistas, pesquisadores ou até mesmo empresários, não poderiam votar)

10) O governo tem 39 ministérios e nenhum deles resolveu sequer um problema relevante do Brasil. Você fecharia a maioria deles?

Diante de todas essas perguntas, pode até ser que Brasília esteja repleta de extraterrestres. Mas o fato é que os editores de Veja também habitam um universo paralelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário